Com ou sem assessoria? Informações importantes e transparentes para você...

Todos sabem,  que é possível identificar - com muitas pesquisas na web -  o passo a passo, para  realizar o processo de reconhecimento  de cidadania, diretamente na Itália.  Com buscas e determinação; identificamos os documentos necessários para o processo, onde devemos ir e como funcionam os procedimentos de cada etapa.

Mas a pergunta é: Por que centenas de brasileiros, que sonham com a cidadania,   preferem pagar para uma assessoria ao invés de fazer o processo sozinhos... já que tantos dizem ser tão simples e  possuem o acesso ao caminho?

Abaixo, mencionaremos -  com propriedade -  o que efetivamente é indispensável para você fazer seu processo sozinho na Itália.  Muitos  brasileiros - com acesso ao passo a passo -  não conseguem fazer e optam por uma  assessoria. 

1- Conhecer o lugar - Saber se virar, se locomover para os lugares necessários  (comune, questura, agenzia dell'entrata, etc).

2- Falar a língua italiana - é necessário saber interagir nos órgãos públicos; não  é suficiente falar algumas frases "como turista". Imagina um estrangeiro, no Brasil, sem saber falar o português e ter que interagir  na prefeitura, cartório, polícia federal, receita federal, etc. Na Itália, você precisa saber se comunicar e se impôr, lebrando que os estrangeiros são vistos com inferioridade, "por parte de alguns italianos", não generalizando.  


3- Obter a residência - Un dos ítens mais importantes no processo.  Solicitar a residência, na Itália, é levado a sério e um agente policial vai controlar a veracidade do pedido efetuado.  Neste caso, você terá 2 opções:  

  • Ser hospedado por um conhecido - que deverá se envolver no processo/ com documentos e ter tempo disponível para te orientar; 
  • Alugar um imóvel - o que não é nada fácil; já que existe uma resistência por parte dos proprietáios e imobiliárias em locação para estranhgeiros ( por N motivos). A locação residencia é feita com contrato de 4 anos, assim como no Brasil, exige do locatário, vínculo empregatício e renda comprovada; além de
  •  ( 3 aluguéis de depósito, 1 anticipadamente  e 1 para a imobiliária).  A luta é...  "encontrar um imóvel semi mobiliado com a aceitação do proprietário" - o que dificulta é a falta de vínculo de trabalho, renda e referências...  Depois, você deve restar no imóvel ao menos 6 meses e terminar de mobiliá-lo, como ficar num imóvel sem utensílos domésticos, roupas de camas, Tv, etc...  

 Reflitamos... Você alugaria o seu imóvel nestas condições?  Mas,  existe o fator sorte e oportunidade e, em alguns casos, existem brasileiros que encontram o proprietário flexível  que aceita fazer a locação.  

4-  Ter conhecimento de todo procedimento - é  importante saber onde ir,  saber quais formulários preencher e saber preenchê-los. Mesmo no nosso país, muitas vezes, possuímos dificuldades para resolver determinados assuntos em órgão públicos e contamos com a assessoria de um profissional específico... tipo um despachante - na Itália  não seria diferente. 

5-  Relacionamento com o comune/ prefeitura - Sabemos como funciona os órgãos públicos... infelizmente, nem sempre podemos contar com a boa vontade, com o bom senso e a velocidade dos funcionários. Não generalizando, mas é importante haver um contato para poder agilizar o máximo possível o processo. ( sempre dentro da lei e sem acordos ou corrupção).

Existem os prazos de circulares, mas identificar o "comune certo" é fundamental para fluir o pedido de cidadania.  Existem comune onde os funcionários  são de mais idade, muitos sem conhecimento ou vontade e interesse  em atender; assim como, existem comunes com pessoas disponíveis e que atendem bem...

6- Tempo - Você  precisa de tempo para esperar a finalização do seu processo na Itália ou de uma "pessoa responsável e com tempo" para acompanhar o seu interesse...  " o que seria o papel das assessorias".  

Todos os serviços realizados pelas assessorias; demandam tempo, burocrácias, seriedade e dedicação... mas, entre todos os serviços oferecidos - o que favorece a demanda deste segmento é a questão da residência e  disponibilidade de tempo - estes são os pontos cruciais. Sem isso, o requerente não consegue fazer sozinho seu processo de reconhecimento na Itália e é isto que justifica o CUSTO, cobrado pelas assessorias.   

É fundamental que você faça  o seu processo com todos os documentos corretos e tentandor respeitar ao máximo o fluxo dos prazos, ou seja, dentro da lei italiana.

Uma das principais exigências  para obter a cidadania diretamente na Itália, além dos documentos,  é possuir residência e isto significa aos olhos dos orgão públicos italianos, que o requerente há o interesse de se estabelecer e viver na Itália por um tempo indeterminado  e não  por 45 dias. O fato é que a legislação italiana para reconhecimento da cidadania por iure sanguinis, não  estipula um prazo mínimo   de meses  necessário para considerar o requerente "residente" e isto  dá espaço para que os processos sejam feitos na Italia, onde os requerentes possuem o direito de irem onde quiserem após serem reconhecidos italianos, 

Você tem o domínio dos quesitos necessários? Quer providenciar o seu processo sozinho? Você se sente seguro?  Se sim...  siga em frente com o seu projeto, sem assessoria.  

O importante é que a  escolha seja do cliente; o mesmo tem o direito fazer seu processo sozinho ou com a assessoria - se possui condições financeiras e interesse no serviço ( por não haver  tempo ou conhecimento). 

O serviço de assessoria para reconhecimento da cidadania - funciona como muitos outros serviços oferecidos aos cidadãos.  Muitos pagam o contador ou despachante, para fazer serviços, os quais, poderíam ser feitos pelo próprio cliente. 


Precisa de ajuda... use o serviço de assessoria a distancia  SAIBA MAIS